GONCALVES INFOR: A Microsoft fez o impossível

A Microsoft fez o impossível


Sejamos francos aqui: dizer às pessoas que você usa o Hotmail tem sido o equivalente na Internet a admitir usar crocs. Mas após uma década sendo motivo de chacota, o Hotmail finalmente teve a maior vitória no jogo da caixa de entrada desde o Gmail. E talvez ela até faça você mudar.



Isso está começando a se tornar previsível, familiar. A Microsoft pega algo entediante, parcialmente quebrado e fortemente enraizado: Windows, Office, Mobile. Joga fora praticamente tudo o que é feio e pouco inspirado, coloca pessoas espertas para trabalhar nesse produto e embala tudo com Metro. Windows 8, Office 15 e Windows Phone tiveram todas as suas partes estagnadas transformadas em coisas vibrantes, modernas. E o Hotmail, agora Outlook, também pode se gabar do mesmo.

Ele parece bom de verdade

Mas, qual é? É possível reformular o Hotmail? O Hotmail? Mesmo o pessoal que trabalha no Hotmail admitirá sem relutar que o nome em si é uma dos maiores desvantagens do serviço. Ninguém o quer em seu currículo, cartão de visitas ou compartilhado em meio a uns bons drinks. É um nome estigmatizado independente do quão bom ou ruim ele seja de fato — quando foi a última vez que você abriu a sua caixa de entrada lá?
Assim sendo, diga adeus ao Hotmail. Agora é Outlook. E contrariando todas as expectativas, ele é muito bom — a Microsoft pegou o que era motivo de sarro por toda a web e o transformou em um webmail de primeira classe.

Primeiro, e isso não é superficialidade, o Hotmail-que-agora-é-Outlook não parece algo vindo direto dos anos 1990, com toda a sua bagunça e um design deprimente. O Novo Hotmail tem um visual fantástico e dependendo de como você tenha encarado o último facelift do Gmail, ele talvez seja o webmail mais bonito do momento. Simples, claro, limpo — ele se parece com uma mobília da Tok Stok montada por um especialista.

O Outlook é tão bom quanto você deseja que o email seja. Ele combina perfeitamente com o modernismo colorido plano do Windows 8. As cores são fortes e limitadas, complementando o restante da paleta do Metro. Os itens da caixa de entrada são espaçados de maneira perfeita, criando uma lista densa de mensagens facilmente gerenciável — diferente da esquisita formatação recente do Gmail. A Microsoft está enfatizando em quantos pixels extras ela te dá para visualizar suas mensagens em comparação ao Google, e é verdade mesmo: com o Outlook, a parte superior da tela é visivelmente mais estreita que no Gmail.


Isso lhe dá um pedação de tela para apreciar, tornando as linhas de assunto fáceis de passar o olho — a coisa inteira é incrivelmente legível, embora os emails em si às vezes voltem para a fonte serifada padrão. Mas tirando esse detalhe na tipografia (que talvez seja só um engasgo do Beta que estou usando), o Outlook se sai no mínimo tão bem quanto o Gmail.

Se você for um purista, pode exibir a sua caixa de entrada inteira em uma lista tradicional. Você sabe como isso funciona. Ou abrir um “painel de leitura,” que divide a área útil da sua tela entre a visualização da caixa de entrada e uma visão em tempo real de cada mensagem em uma coluna adjacente, meio que no estilo do gerenciamento de email no iPad. Você também pode deixar o painel de leitura abaixo da lista. Todos os três modos funcionam bem e são maravilhosamente rápidos para carregar. Sim — três formas de ver seu email bem projetadas, todas em uma aba do navegador, sem que nenhuma delas pareça ter sido feita de qualquer jeito.
Fonte: MSN